Basílica de Santa Sofia (Istambul)

Basílica de Santa Sofia (Istambul)

Construída no Império Bizantino, a igreja da ‘Sagrada Sabedoria’ foi o maior edifício religioso até 1935, quando foi transformada em museu.

Artes visuais

Palavras-chave

Hagia Sophia, basílica, mesquita, minarete, igreja, museu, otomano, bizantino, turco, Turquia, Constantinopla, Istambul, Bósforo, Anatólia, ortodoxo, muçulmano, cristão, deus, Idade Média, construção, local de peregrinação, mármore, Cristo, apóstolo, arquitetura, imperador, serafim, religião, edifícios religiosos, Império Bizantino, Império Otomano, Galeria superior, cúpula, caligrafia

Itens relacionados

Cenas

Basílica de Santa Sofia

  • pilares
  • ruínas da antiga mesquita - Este era o local de uma escola onde as pessoas podiam estudar a religião islâmica.
  • batistério - Hoje funciona como túmulo do sultão Mustafa I e do sultão Ibrahim, embora originalmente fosse usado como batistério.
  • fontes públicas - Estas estruturas fornecem água potável caritativamente para quem passa por ali.
  • fonte - Foi construída por ordem do sultão Mahmud I em 1740. É aqui que os muçulmanos fazem as suas abluções antes de rezar.
  • escola primária
  • escritório - Foi construído por ordem do sultão Abd-ul-Medjid I em 1853. Originalmente indicava as horas da oração. Hoje funciona como escritório.
  • fonte pública - Estas estruturas fornecem água potável caritativamente para quem passa por ali.
  • túmulos - Foram erguidos para pessoas turcas importantes.
  • minarete - Esta estrutura parecida com uma torre era erguida ao lado das mesquitas. Construída com escadas em caracol no interior, é esguia tornando-se gradualmente mais apertada em direção ao topo. Desde sua galeria, o muezim chama os crentes para rezar cinco vezes por dia.
  • cúpula - Tem uma altura de 55,6 metros e um diâmetro de 31 metros.
  • túmulo do sultão Selim II - Foi construído no século XVI pelo famoso arquiteto otomano Mimar Sinan. Este foi encarregado pelo sultão Selim II, filho e sucessor de Solimão, o Magnífico, para construir o túmulo dele durante a sua vida.
  • túmulo do sultão Mehmed III - Foi construído em 1603 e contém 26 sarcófagos. Mehmed III foi o sultão do Império Otomano entre 1595 e 1603.
  • túmulo do sultão Murad III - O edifício hexagonal com duas cúpulas contém 54 sarcófagos. Murad III foi o sultão do Império Otomano entre 1574 e 1595.
  • túmulo dos príncipes - O sultão Murad III mandou Mimar Sinan construir este edifício para a sua mãe, mas tornou-se o lugar de sepultamento de quatro dos seus filhos e de uma das suas filhas, os quais faleceram por causa da peste em 1580.
  • edifício da tesouraria - Funcionou como armazém da cozinha dos pobres durante o Império Otomano, embora originalmente tenha sido a tesouraria durante o Império Bizantino.
  • porta da cozinha dos pobres - Foi construída em estilo barroco e contém uma epígrafe que remonta ao ano de 1155.
  • cozinha dos pobres - Foi construída por ordem do sultão Mahmud I em 1743 para fornecer comida aos pobres e pessoas carentes.

Passarela

Animação

Interior

  • galeria do sultão
  • mirabe - Este nicho de oração na parede da mesquita indica a direção de Meca. Os dois grandes castiçais de bronze foram trazidos aqui pelo Grão-Vizir do Império Otomano, Ibrahim, em 1526.
  • mimbar - O imame fica de pé nesta palataforma para liderar as orações.
  • púlpito do muezim
  • Omphalion - Referido como "umbigo da terra", este local era considerado o centro do mundo durante o Império Bizantino. É composto por lajes circulares de mármore assentes no chão. Era aqui que os imperadores bizantinos eram coroados.
  • Porta do Imperador - Era usada exclusivamente pelo imperador e seu séquito. Com uma altura de 7 metros, esta porta foi construída no século VI e é a maior da Basílica de Santa Sofia.
  • jarro de mármore - É um dos dois jarros de mármore situados em ambos os lados da entrada principal. Foram trazidos de Pérgamo (cidade hoje conchecida como Bergama) durante o reinado do sultão Murad III. Durante as celebrações, eram enchidos de sorvete (uma bebida doce à base de frutas), enquanto noutros dias continham água para os crentes.
  • cúpula central
  • painel de caligrafia - Com um diâmetro de 7,5 metros, os oito medalhões redondos de madeira contêm inscrições que elogiam Alá, Maomé e os quatro califas.

Interior

A luz que se insinua pelas numerosas janelas e o brilho das velas produzem uma atmosfera mística no interior do edifício ricamente ornamentado.

O Omphalion, a coluna dos desejos, os gigantes painéis de caligrafia e os maravilhosos mosaicos tornam o interior ainda mais especial.

Naturalmente, também aqui se encontram, além da galeria do sultão, os locais relacionados com as práticas da religião islâmica, nomeadamente o mimbar, o mirabe e o púlpito do muezim.

Cúpula central

Cúpula central

A cúpula central da Basílica de Santa Sofia tem uma altura de 55,6 metros e um diâmetro de 31 metros. Esta cúpula enorme é sustentada por quatro pendentes triangulares, suportados por quatro grandes pilares situados nas quatro esquinas do edifício.

Galeria superior

Mosaico de Deesis

  • Mosaico de Deesis - Representa Jesus Cristo, a Virgem Maria e São João Batista. Foi feito de pequenos pedaços no século XIII.
  • porta de mármore

Mosaico de Deesis

Criado no século XIII., o Mosaico de Deesis é uma das obras-primas da arte bizantina.
Infelizmente, só parte dele sobreviveu. Representa Jesus Cristo, a Virgem Maria e São João Batista, sendo possível ver até o enrubescimento da face de Maria e as rugas de João.

Passeio

  • galeria do sultão
  • mirabe - Este nicho de oração na parede da mesquita indica a direção de Meca. Os dois grandes castiçais de bronze foram trazidos aqui pelo Grão-Vizir do Império Otomano, Ibrahim, em 1526.
  • mimbar - O imame fica de pé nesta palataforma para liderar as orações.
  • púlpito do muezim
  • Omphalion - Referido como "umbigo da terra", este local era considerado o centro do mundo durante o Império Bizantino. É composto por lajes circulares de mármore assentes no chão. Era aqui que os imperadores bizantinos eram coroados.
  • Porta do Imperador - Era usada exclusivamente pelo imperador e seu séquito. Com uma altura de 7 metros, esta porta foi construída no século VI e é a maior da Basílica de Santa Sofia.
  • jarro de mármore - É um dos dois jarros de mármore situados em ambos os lados da entrada principal. Foram trazidos de Pérgamo (cidade hoje conchecida como Bergama) durante o reinado do sultão Murad III. Durante as celebrações, eram enchidos de sorvete (uma bebida doce à base de frutas), enquanto noutros dias continham água para os crentes.
  • cúpula central
  • painel de caligrafia - Com um diâmetro de 7,5 metros, os oito medalhões redondos de madeira contêm inscrições que elogiam Alá, Maomé e os quatro califas.
  • biblioteca - Foi construída por ordem do sultão Mahmud I em 1739.
  • coluna dos desejos - A lenda diz que realiza os desejos daqueles que lhe tocam. É também chamada de coluna suadora porque debaixo dela há um reservatório do qual a coluna absorve humidade, que depois liberta.
  • Mosaico de Deesis - Representa Jesus Cristo, a Virgem Maria e São João Batista. Foi feito de pequenos pedaços no século XIII.
  • porta de mármore

Narração

A Basílica de Santa Sofia, a igreja da ‘Santa Sabedoria’, fica situada em Istambul, na Turquia. O edifício tem uma história atribulada, de mais de mil e quinhentos anos.

A igreja original foi construída no século IV pelo filho de Constantino, que aí fundara a nova capital romana. Destruída e reconstruída várias vezes, a igreja tomou a sua derradeira forma no século VI. Mais tarde, no século XIII, os Cruzados converteram esta grande igreja ortodoxa oriental numa igreja católica romana.

Quando Constantinopla foi conquistada pelos turcos em 1453, o sultão Mehmed II ordenou que o edifício fosse transformado numa mesquita. Os quatro minaretes foram acrescentados na segunda metade do século XVI. O edifício funcionou como uma das principais mesquitas do mundo islâmico até 1931, altura em que foi encerrado. Após as reformas levadas a cabo na República da Turquia, foi reaberto como museu em 1934.

Esta basílica ortodoxa em estilo bizantino é uma obra-prima arquitetônica, sendo muitas vezes referida como síntese perfeita de elementos arquitetônicos bizantinos. O traço mais admirável do edifício é a complexa estrutura da cúpula. Trata-se de um autêntico feito arquitetônico, tendo em conta as dimensões da cúpula principal (56 metros de altura e 31 de diâmetro) e respetivo sistema de suporte. A base da cúpula conta com quarenta janelas em arco, o que faz com que pareça estar a pairar sobre a nave.

Nos lados ocidental e oriental, os arcos continuam em semi-cúpulas, suportados por êxedras mais pequenas e semi-abobadadas. O impressionante tamanho do interior do edifício é assim expandido ainda mais. A nave é rodeada por dois ambulatórios, com uma colunata em arco no piso térreo e uma galeria superior igualmente colunada. O contraste entre o interior e o exterior do edifício resultou de um meticuloso planejamento: o interior do simples e enorme edifício era arejado e ricamente decorado.

Esta grande estrutura, último feito arquitetônico da antiguidade tardia e primeira obra-prima da arquitetura bizantina (juntamente com outras estruturas na parte histórica de Istambul), foi incluída em 1985 na lista da UNESCO de lugares Patrimônio Cultural da Humanidade.

Itens relacionados

Imperador bizantino (século VI)

O império Bizantino foi a continuação direta do Império Romano.

Soldado de Constantino (século IV)

A prosperidade da parte oriental do império romano teve início no século IV, durante o reinado do imperador Constantino.

Catedral de Alexandre Nevsky (Sófia, século XX)

Construída em estilo neo-bizantino, esta catedral ortodoxa é um dos símbolos da capital búlgara.

Grande Mesquita de Djenné (1907)

Esta mesquita, construída num estilo arquitectônico único, é o maior edifício de adobe no mundo.

Igreja de São João em Kaneo

A igreja ortodoxa, situada num penhasco pitoresco, foi nomeada após João, o Apóstolo.

Mesquita Jameh (Isfahan, século XV)

As suas soluções e ornamentos arquitetônicos fazem desta mesquita uma das obras-primas da arte islâmica.

Necrópole cristã primitiva, Cella Septichora (século IV, Pécs, Hungria)

A Necrópole cristã primitiva de Pécs, Hungria, é um local histórico incomparável.

Necrópole cristã primitiva, Cella trichora (Pécs, Hungria)

A Necrópole cristã primitiva de Pécs, na Hungria, é um local histórico incomparável.

O Cavaleiro de Madara

Relevo esculpido em pedra, situado no nordeste da Bulgária e provavelmente feito em finais do século VII.

Panteão (Roma, século II)

O "Templo de todos os deuses" foi construído durante o reinado do imperador romano Adriano.

Taj Mahal (Agra, século XVII)

O centro do mausoléu indiano é um túmulo em mármore branco, construído por Shah Jahan para a sua amada esposa.

Catedral de São Basílio (Moscou, século XVI)

Consagrada a São Basílio, a catedral foi construída por Ivan, o Terrível.

Arquitetura otomana na Hungria (século XVII)

Os vestígios de arquitetura otomana na Hungria incluem a Mesquita de Gazi Kasim Paxá em Pécs e o Minarete de Eger.

Atuais religiões do mundo

A distribuição geográfica das principais religiões mundiais foi influenciada por eventos históricos.

Catedral gótica (Clermont-Ferrand, século XV)

Nomeada em referência à Assunção de Maria ao Céu, a catedral é uma das pérolas da arquitetura gótica francesa.

Palácio de Carlos Magno (Aachen, século IX)

O palácio de Carlos Magno, imperador dos Francos, não foi apenas o centro do Império, mas também um centro de cultura.

Panteão (Paris, século XVIII)

O edifício neoclássico francês mais importante, terminado em 1790, tornou-se no local de repouso final dos grandes nomes franceses.

Templo de Salomão (Jerusalém, século X a.C.)

O templo de Salomão tornou-se um dos mais importantes símbolos da arquitetura judaica.

Added to your cart.