Rios e a formação do relevo

Rios e a formação do relevo

Os rios têm um papel importante na formação da superfície da Terra: provocam erosão, e transportam e depositam sedimentos.

Geografia

Palavras-chave

rio, formação do relevo, cursos de água, leito, foz, água de rio, curso superior, curso médio, curso inferior, delta do rio, estuário, erosão, sedimento, água estagnada, curva, recife, ilha, vale, relevo, água, hidrografia, ciclo da água, natureza, estudo da natureza, geografia física, geomorfologia, geografia

Extras relacionados

Cenas

Rios

Enquanto forças externas, os rios desempenham um importante papel na modelação da superfície da Terra: provocam erosão, e transportam e depositam sedimentos. As quatro principais formas de erosão provocadas por um rio são: acção hidráulica, abrasão, atrito e solução. Estas podem alternar ao longo do curso do rio, dependendo do tipo de terreno em que este flui.

Curso superior

Os corpos de água em movimento têm uma certa quantidade de energia, parte da qual é usada para transportar sedimentos, enquanto a restante é usada para erodir o leito. Os rios com pendentes acentuadas têm mais energia do que a necessária para transportar os sedimentos. Os rios com grande velocidade afundam os seus leitos com o efeito erosivo dos sedimentos que transportam, formando vales em forma de V com o passar do tempo.

Definições:

Desfiladeiro: uma ravina estreita e profunda, geralmente com paredes rochosas verticais, com o rio a correr no fundo.

Canhão: um vale profundo e longo, com paredes rochosas esculpidas pelo rio que corre no fundo.

Cascata: uma parte de um rio onde a água flui sobre a orla de um penhasco vertical ou muito inclinado. Ocorre em zonas em que existem plataformas de rochas mais duras ao longo do leito do rio. As camadas de rochas mais macias, localizadas acima e abaixo das rochas mais duras, são erodidas mais rapidamente, produzindo um degrau na pendente sobre a qual a água flui ou cai verticalmente.

Curso médio

A energia dos rios com pendentes pouco acentuadas é equilibrada, o que significa que estes transportam e depositam tantos sedimentos quanto os que produzem por erosão. Enquanto serpenteiam sobre um gradiente cada vez menos inclinado, alteram a forma do curso de água. Ilhas barreira (ou ilhas alongadas) são gradualmente construídas próximo de uma das margens, enquanto a margem oposta é erodida, criando uma curva. A velocidade da corrente é mais elevada na parte exterior da curva, o que causa a erosão e o aumento do ângulo da curva, até que o pescoço se torna tão estreito que fica bloqueado pelos sedimentos depositados pela água que flui mais lentamente na zona interior. Este processo cria os chamados lagos em ferradura.

Definições:

Linha de canal: um linha imaginária que liga os pontos de corrente mais elevada de um rio. Nas curvas fica situada ao longo da margem em erosão, em secções retas fica localizada no meio do canal.

Curso inferior

Os rios com muito pouco gradiente têm baixa energia, a qual não é suficiente para transportar sedimentos. Em resultado disso, a deposição torna-se dominante, embora o processo de transporte de sedimentos ainda continue a ocorrer. O aluvião depositado forma barras (ou ilhas) e o canal divide-se em vários braços. O curso do rio muda de local de forma permanente e a deposição de sedimentos dá origem à formação de planícies de aluvião e leques aluviais.

Tipos de foz de rios

Delta

A maioria dos grandes rios flui para o mar. Os deltas formam-se na foz dos rios onde há uma abundância de sedimentos e um baixo alcance de maré. Os rios depositam os restantes sedimentos na foz, originando a formação de vários canais distributários, e fazendo com que as ilhas entre estes se expandam às custas do mar.

Estuário

O estuário é um corpo de água que apenas tem uma pequena quantidade de sedimentos ou que flui para mares com um grande alcance de maré. A maré alta torna-o continuamente maior e mais profundo.

Patamares do rio

O curso de um rio altera-se ao longo do tempo num dado local devido a influências tectónicas e climáticas. Por conseguinte, esta mudança, que ocorre múltiplas vezes na mesma área, forma patamares no rio uns em cima de outros. Uma vez que as inundações não os atingem, são locais privilegiados para a construção de estradas e povoamentos.

Narração

Enquanto forças externas, os rios desempenham um importante papel na modelação da superfície da Terra: provocam erosão, e transportam e depositam sedimentos. As quatro principais formas de erosão provocadas por um rio são: acção hidráulica, abrasão, atrito e solução. Estas podem alternar ao longo do curso do rio, dependendo do tipo de terreno em que este flui.

Os corpos de água em movimento têm uma certa quantidade de energia, parte da qual é usada para transportar sedimentos, enquanto a restante é usada para erodir o leito.

Os rios com pendentes acentuadas têm mais energia do que a necessária para transportar os sedimentos. Os rios com grande velocidade afundam os seus leitos com o efeito erosivo dos sedimentos que transportam, formando vales em forma de V com o passar do tempo.

A energia dos rios com pendentes pouco acentuadas é equilibrada, o que significa que estes transportam e depositam tantos sedimentos quanto os que produzem por erosão. Enquanto serpenteiam sobre um gradiente cada vez menos inclinado, alteram a forma do curso de água.

Ilhas barreira (ou ilhas alongadas) são gradualmente construídas próximo de uma das margens, enquanto a margem oposta é erodida, criando uma curva. A velocidade da corrente é mais elevada na parte exterior da curva, o que causa a erosão e o aumento do ângulo da curva, até que o pescoço se torna tão estreito que fica bloqueado pelos sedimentos depositados pela água que flui mais lentamente na zona interior. Este processo cria os chamados lagos em ferradura.

Os rios com muito pouco gradiente têm baixa energia, a qual não é suficiente para transportar sedimentos. Em resultado disso, a deposição torna-se dominante, embora o processo de transporte de sedimentos ainda continue a ocorrer. O aluvião depositado forma barras (ou ilhas) e o canal divide-se em vários braços. O curso do rio muda de local de forma permanente e a deposição de sedimentos dá origem à formação de planícies de aluvião e leques aluviais.

A maioria dos grandes rios flui para o mar. Os deltas formam-se na foz dos rios onde há uma abundância de sedimentos e um baixo alcance de maré. Os rios depositam os restantes sedimentos na foz, originando a formação de vários canais distributários, e fazendo com que as ilhas entre estes se expandam às custas do mar.

O estuário é um corpo de água que apenas tem uma pequena quantidade de sedimentos ou que flui para mares com um grande alcance de maré. A maré alta torna-o continuamente maior e mais profundo.

Extras relacionados

From the Sahara to Amazonia

Sahara sand carries nutrients essential for the Amazonian flora.

Mineral ou rocha?

Nesta lição, aprenderás mais sobre os minerais e rochas.

A formação do nevoeiro

O nevoeiro é um tipo de nuvem que se forma perto da superfície da Terra. Existem lugares na...

Formação de nuvens

Quando a temperatura do ar que está a refrigerar alcança o ponto de orvalho, chama-se...

Ciclo do carbono

Durante a fotossíntese, o carbono fica retido em matéria orgânica, sendo libertado para a...

Fontes hidrotermais do mar profundo

Uma fonte hidrotermal é uma fissura na planície oceánica a partir da qual erupciona água...

Correntes marítimas

A correia transportadora oceânica é um sistema de correntes marítimas a uma escala...

A Pompeia antiga

Existe uma pequena aldeia na Hungria do Norte, na Europa Central que esconde tesouros únicos.

Added to your cart.