O ouvido e o aparelho auditivo

O ouvido e o aparelho auditivo

O nosso órgão auditivo converte as vibrações do ar em sinais elétricos, processados depois pelo cérebro.

Biologia

Palavras-chave

audição, ouvido, órgão auditivo, órgão sensorial, percepção, tonotopia, ouvido médio, ouvido interno, nervo coclear, via auditiva, córtex auditivo, ossículos do ouvido, caracol, órgão de Corti, canal auditivo, tubo de eustáquio, tímpano, martelo, bigorna, estribo, membrana de Reissner, pavilhão auricular, estímulo, impulso, canal semicircular, humano, biologia

Extras relacionados

Perguntas

  • Que nervo craniano se chama nervo vestibulococlear?
  • Onde estão localizados os ossículos?
  • Que tipo de sons são absorvidos na base da cóclea?
  • Que intervalo de frequência pode ser escutados por um ouvido saudável?
  • É verdade que as vibrações sonoras criam sinais na trompa de Eustáquio.
  • Onde são absorvidas as vibrações de baixa frequência geradas por sons profundos?
  • Onde é produzido o sentido da audição?
  • Qual dos seguintes ossos NÃO é um ossículo?
  • Que tipo de tecido abrange a maior parte da aurícula?
  • Ode está situada a cóclea?
  • Em que parte do ouvido são gerados os impulsos nervosos?
  • É verdade que a base do estribo encaixa perfeitamente na janela oval da cóclea?
  • É verdade que a trompa de Eustáquio é também conhecida por tubo auditivo?
  • É verdade que a bigorna é o ossículo mais externo, ligado ao tímpano?
  • É verdade que os sons de igual frequência são sempre absorvidos no mesmo ponto da cóclea?
  • É verdade que na cóclea existe um fluido que é vibrado pelo movimento do estribo?
  • O que liga a cavidade timpânica à cavidade faríngea?
  • O que separa o ouvido externo do ouvido médio?
  • Em que lóbulo do córtex cerebral está situado o córtex auditivo?

Cenas

Aparelho auditivo

  • pavilhão auricular - Dirige as ondas sonoras até ao canal auditivo externo. É composto essencialmente de tecido cartilaginoso.
  • canal auditivo externo - Dirige as vibrações sonoras até ao tímpano. A pele que forra o canal auditivo produz cerume, cuja função é proteger a pele de feridas e agentes estranhos. Quando em excesso, o cerume pode impedir a passagem do som, causando uma perda temporária da audição.
  • ouvido médio - Contém a caixa timpânica e os ossículos do ouvido. Liga-se à cavidade faríngea através da trompa de Eustáquio.
  • ouvido interno - Tem um papel fundamental na manutenção do equilíbrio e na audição.
  • nervo coclear - Oitavo nervo craniano, que transmite os sinais desde a cóclea do ouvido até ao cérebro. Este nervo transporta igualmente a informação relativa ao equilíbrio, pelo que também se denomina nervo vestibulococlear.
  • via auditiva - Continuação do nervo auditivo no cérebro. Os seus axónios transmitem os impulsos ao córtex auditivo através do tálamo.
  • córtex auditivo - Região cortical localizada no lóbulo temporal. É responsável pelo processamento do som. Nela são ativadas diferentes áreas, conforme o tom do som.
  • trompa de Eustáquio - Liga a cavidade nasal ao ouvido médio (caixa timpânica). A sua função é equilibrar a pressão entre o ouvido médio e o mundo externo. Abre-se quando engolimos, sendo que quando está fechada permanentemente a pressão cai e o ouvido bloqueia. Se a pressão exterior muda, é possível ouvir pequenos estalidos: neste caso, a trompa de Eustáquio abre-se e o ar flui até à caixa timpânica (se a pressão exterior for mais alta) ou a partir da caixa timpânica (se a pressão exterior for mais baixa).

Ouvido

  • pavilhão auricular - Dirige as ondas sonoras até ao canal auditivo externo. É composto essencialmente de tecido cartilaginoso.
  • canal auditivo externo - Dirige as vibrações sonoras até ao tímpano. A pele que forra o canal auditivo produz cerume, cuja função é proteger a pele de feridas e agentes estranhos. Quando em excesso, o cerume pode impedir a passagem do som, causando uma perda temporária da audição.
  • ouvido médio - Contém a caixa timpânica e os ossículos do ouvido. Liga-se à cavidade faríngea através da trompa de Eustáquio.
  • ouvido interno - Tem um papel fundamental na manutenção do equilíbrio e na audição.
  • nervo coclear - Oitavo nervo craniano, que transmite os sinais desde a cóclea do ouvido até ao cérebro. Este nervo transporta igualmente a informação relativa ao equilíbrio, pelo que também se denomina nervo vestibulococlear.
  • via auditiva - Continuação do nervo auditivo no cérebro. Os seus axónios transmitem os impulsos ao córtex auditivo através do tálamo.
  • córtex auditivo - Região cortical localizada no lóbulo temporal. É responsável pelo processamento do som. Nela são ativadas diferentes áreas, conforme o tom do som.
  • trompa de Eustáquio - Liga a cavidade nasal ao ouvido médio (caixa timpânica). A sua função é equilibrar a pressão entre o ouvido médio e o mundo externo. Abre-se quando engolimos, sendo que quando está fechada permanentemente a pressão cai e o ouvido bloqueia. Se a pressão exterior muda, é possível ouvir pequenos estalidos: neste caso, a trompa de Eustáquio abre-se e o ar flui até à caixa timpânica (se a pressão exterior for mais alta) ou a partir da caixa timpânica (se a pressão exterior for mais baixa).

Ossículos do ouvido

  • tímpano - Membrana que separa o ouvido externo do ouvido médio. As ondas sonoras causam vibrações na membrana, as quais são transmitidas aos ossículos. Numa cirurgia denominada paracentese, perfura-se o tímpano para extrair o pus de um ouvido médio inflamado.
  • martelo - Ossículo externo que transmite a vibração do tímpano até à bigorna.
  • bigorna - Ossículo central que transmite a vibração do martelo até ao estribo.
  • estribo - Ossículo interno que transmite a vibração da bigorna até à cóclea. É o osso mais pequeno do corpo humano.

Cóclea

  • 3 canais semicirculares - Detetam a aceleração angular da cabeça. Quando a nossa cabeça gira em qualquer direção, é criado um sinal nos receptores dos canais semicirculares, que é posteriormente transmitido ao cérebro pelos axónios do nervo coclear (nervo vestibulococlear).
  • rampa vestibular - O estribo faz com que vibre o fluido (perilinfa) na rampa vestibular. A vibração do fluido prolonga-se até à ponta da cóclea.
  • rampa média - Está separada da rampa vestibular pela membrana de Reissner e da rampa timpânica pela membrana basilar. Está repleta de fluido (endolinfa).
  • rampa timpânica - Está cheia de fluido (perilinfa). A vibração prolonga-se desde a ponta até à base da cóclea neste canal.
  • nervo coclear - Oitavo nervo craniano, que transmite os sinais desde a cóclea do ouvido até ao cérebro. Este nervo transporta igualmente a informação relativa ao equilíbrio, pelo que também se denomina nervo vestibulococlear.
  • janela redonda - Está coberta por uma membrana de tecido conectivo. A vibração avança no fluido do canal coclear inferior até à janela redonda. A janela redonda é a saída da cóclea.
  • janela oval - Está coberta por uma membrana de tecido conectivo que se chama membrana oval. O estribo está diretamente apoiado sobre a janela oval. A vibração do estribo é transmitida ao fluido no canal coclear superior através da membrana. A janela oval é a entrada da cóclea.

Órgão de Corti

  • célula pilosa - Quando a vibração é absorvida, a membrana basilar move-se de acordo com a membrana tetorial. A membrana tetorial é oprimida contra as células pilosas do órgão de Corti, dobrando-as. É desta forma que são criados impulsos nas células pilosas. Uma constante exposição ao ruído pode causar a destruição das células pilosas, resultando numa perda irremediável da audição. É por isso que é tão importante a proteção contra o ruído no local de trabalho.
  • membrana tetorial - Quando a vibração é absorvida, a membrana basilar move-se de acordo com a membrana tetorial. A membrana tetorial é oprimida contra as células pilosas do órgão de Corti, dobrando-as. É desta forma que são criados impulsos nas células pilosas.
  • membrana basilar - A membrana basilar absorve a vibração que avança no fluido coclear e começa a vibrar. É por isso que a membrana basilar se move de acordo com a membrana tetorial.
  • fibras nervosas

Tonotopia

Animação

  • pavilhão auricular - Dirige as ondas sonoras até ao canal auditivo externo. É composto essencialmente de tecido cartilaginoso.
  • canal auditivo externo - Dirige as vibrações sonoras até ao tímpano. A pele que forra o canal auditivo produz cerume, cuja função é proteger a pele de feridas e agentes estranhos. Quando em excesso, o cerume pode impedir a passagem do som, causando uma perda temporária da audição.
  • ouvido interno - Tem um papel fundamental na manutenção do equilíbrio e na audição.
  • nervo coclear - Oitavo nervo craniano, que transmite os sinais desde a cóclea do ouvido até ao cérebro. Este nervo transporta igualmente a informação relativa ao equilíbrio, pelo que também se denomina nervo vestibulococlear.
  • via auditiva - Continuação do nervo auditivo no cérebro. Os seus axónios transmitem os impulsos ao córtex auditivo através do tálamo.
  • tímpano - Membrana que separa o ouvido externo do ouvido médio. As ondas sonoras causam vibrações na membrana, as quais são transmitidas aos ossículos. Numa cirurgia denominada paracentese, perfura-se o tímpano para extrair o pus de um ouvido médio inflamado.
  • martelo - Ossículo externo que transmite a vibração do tímpano até à bigorna.
  • bigorna - Ossículo central que transmite a vibração do martelo até ao estribo.
  • estribo - Ossículo interno que transmite a vibração da bigorna até à cóclea. É o osso mais pequeno do corpo humano.
  • rampa vestibular - O estribo faz com que vibre o fluido (perilinfa) na rampa vestibular. A vibração do fluido prolonga-se até à ponta da cóclea.
  • rampa média - Está separada da rampa vestibular pela membrana de Reissner e da rampa timpânica pela membrana basilar. Está repleta de fluido (endolinfa).
  • rampa timpânica - Está cheia de fluido (perilinfa). A vibração prolonga-se desde a ponta até à base da cóclea neste canal.
  • membrana de Reissner
  • membrana basilar - A membrana basilar absorve a vibração que avança no fluido coclear e começa a vibrar. O lugar da absorção depende da frequência da vibração. Sons de frequência alta causam uma vibração de frequência alta no líquido, sendo este absorvido pela secção inicial da membrana. Vibrações de frequência mais baixa, geradas por sons graves, entram na cóclea e são absorvidos mais perto da ponta.
  • janela oval - Está coberta por uma membrana de tecido conectivo que se chama membrana oval. O estribo está diretamente apoiado sobre a janela oval. A vibração do estribo é transmitida ao fluido no canal coclear superior através da membrana. A janela oval é a entrada da cóclea.
  • célula pilosa - Quando a vibração é absorvida, a membrana basilar move-se de acordo com a membrana tetorial. A membrana tetorial é oprimida contra as células pilosas do órgão de Corti, dobrando-as. É desta forma que são criados impulsos nas células pilosas. Uma constante exposição ao ruído pode causar a destruição das células pilosas, resultando numa perda irremediável da audição. É por isso que é tão importante a proteção contra o ruído no local de trabalho.
  • membrana tetorial - Quando a vibração é absorvida, a membrana basilar move-se de acordo com a membrana tetorial. A membrana tetorial é oprimida contra as células pilosas do órgão de Corti, dobrando-as. É desta forma que são criados impulsos nas células pilosas.
  • membrana basilar - A membrana basilar absorve a vibração que avança no fluido coclear e começa a vibrar. É por isso que a membrana basilar se move de acordo com a membrana tetorial.
  • fibras nervosas

Narração

O som é a vibração do ar que sentimos com a ajuda do nosso órgão do ouvido. Um ouvido saudável é capaz de captar vibrações sonoras de frequências entre os 20 e os 20.000 Hz. Esta gama diminui com o envelhecimento e a exposição ao ruído.

As vibrações sonoras geram impulsos dentro do ouvido interno, sendo transmitidas ao córtex auditivo pelo nervo coclear e a via auditiva. É no córtex auditivo que se produz a sensação do som.

O pavilhão auricular dirige depois as vibrações sonoras para o canal auditivo externo. As vibrações sonoras causam vibrações no tímpano, que fecha o canal auditivo. Os ossículos (martelo, bigorna e estribo) transmitem as vibrações do tímpano à cóclea.

O estribo está diretamente apoiado sobre a janela oval. A membrana basilar repousa sobre a cóclea. Corre ao longo da ponta da cóclea, de onde volta e continua, como a membrana de Reissner. As membranas dividem a cóclea longitudinalmente em três cavidades: rampa vestibular, rampa média e rampa timpânica.

A cóclea está cheia de fluido que o estribo faz vibrar. Sons de frequência alta causam uma vibração de frequência alta no líquido, que será absorvido pela secção inicial da membrana. Vibrações de frequência mais baixa, geradas por sons graves, entram na cóclea e são absorvidas mais perto da ponta. Quando uma vibração é absorvida, um impulso elétrico é produzido e transmitido ao cérebro. Sons de tons diferentes são absorvidos em diferentes sítios. A isto se chama tonotopia ou teoria de lugar.

Os impulsos elétricos nascem no órgão de Corti. Avançando pela cóclea, as vibrações oprimem a membrana tetorial contra as células pilosas da membrana basilar, dobrando-as e desse modo gerando impulsos nas células. É assim que o órgão de Corti transforma as vibrações em impulsos elétricos, os quais o nervo coclear transmite ao cérebro, sendo posteriormente transmitidos pela via auditiva ao córtex auditivo. No final, a sensação de som é produzida no córtex cerebral.

Extras relacionados

Infecção do ouvido médio, otite média

Esta animação mostra os sintomas e tratamento da otite média secretora.

Sentido de equilíbrio

A posição e movimento da cabeça são sentidos pelo ouvido interno.

Nariz, olfacto

Os receptores olfactivos produzem sinais elétricos quando estimulados por odores.

O mecanismo da visão

A curvatura da lente do olho muda consoante estamos a olhar para um objeto próximo ou distante, de forma a garantir uma imagem nítida.

O olho humano

O olho é um dos mais importantes órgãos sensoriais que temos. Quando estimulado pela luz, os seus receptores produzem impulsos elétricos.

Sentido do gosto

Os receptores do gosto convertem estímulos químicos em sinais elétricos.

Anatomia da medula espinhal

A medula espinhal é a parte do sistema nervoso central que está localizada no interior da coluna vertebral e a partir da qual se ramificam os nervos espinhais.

Articulação do joelho

A articulação do joelho é composta pelo fémur, pela tíbia e pela rótula.

Características das ondas sonoras

Esta animação explica as características mais importantes das ondas através de ondas sonoras.

Cérebro humano

As principais partes do cérebro humano são o tronco cerebral, o cerebelo, o mesencéfalo e o telencéfalo.

Corpo humano (masculino)

Esta animação apresenta os mais importantes sistemas do corpo humano.

Correção da visão

Lentes côncavas e convexas são usadas ​​para a correção de miopia e hipermetropia.

Desenvolvimento pré-natal

Esta animação mostra o desenvolvimento do embrião e feto humanos.

Flauta doce

A flauta doce é um instrumento musical de sopro, um tipo de flauta fipple.

Ligações ósseas

Os ossos humanos estão unidos por suturas, articulações cartilaginosas e articulações sinoviais, ou podem fundir-se entre si.

O crânio e a coluna

As duas partes principais do sistema nervoso central são o cérebro e a espinal medula, protegidos respetivamente pelo crânio e pela coluna vertebral.

Organização da área cortical da fala

Falar requer a operação sincronizada de vários centros corticais.

Os órgãos sensoriais

Órgãos que detetam os sinais do ambiente ou do corpo e transmitem-nos ao cérebro como impulsos nervosos.

Ossos dos membros inferiores

Os ossos dos membros inferiores formam a cintura pélvica e as pernas.

Ossos dos membros superiores

Os ossos dos membros superiores formam a cintura escapular e os braços.

Partes do cérebro humano

As principais partes do cérebro humano são o tronco cerebral, o cerebelo, o disencéfalo e os lobulos.

Problemas de saúde relacionados com a coluna vertebral

A escoliose é um problema de saúde em que a coluna vertebral de uma pessoa sofre de um esvio lateral.

Reflexo patelar

O reflexo provocado pelo alongamento do músculo extensor é chamado reflexo patelar.

Added to your cart.