Casa romana (domus)

Casa romana (domus)

Na Roma Antiga, a residência urbana das famílias abastadas era a domus, uma casa espaçosa, com várias divisões e plantas variadas.

História

Palavras-chave

edifício de habitação, casa, construção, estrutura, arquitetura, Roma, Pompeios, Herculano, Római Birodalom, Antiguidade, estilo de vida, villa, átrio, cozinha, mobília, Mozaik, loja, rua, história, decoração

Extras relacionados

Perguntas

  • Quantos andares tinham em geral as casas dos cidadãos mais abastados da Roma Antiga?
  • Como se chamam as moradias rurais da Roma Antiga?
  • De que material era feita a maioria dos móveis das casas romanas?
  • Em torno de que área se organizavam as diferentes divisões da casa?
  • Qual das afirmações não corresponde à domus romana?
  • É verdade que os romanos da Antiguidade ainda não usavam o vidro?
  • Que tipo de planta NÃO existia nas despensas da domus romana?
  • Em geral, onde guardavam as roupas os romanos da Antiguidade?
  • Além da área de receção, onde tinham lugar as reuniões importantes?
  • Qual das palavras seguintes se refere às casas de banho das casas romanas?
  • Que divisão é designada pela palavra latina culina?
  • Quantas refeições por dia tinham os romanos antigos?
  • Qual das refeições era a mais copiosa?
  • Em que posição comiam geralmente os romanos antigos?
  • Onde reside a diferença na concepção e distribuição dos quartos de dormir entre os romanos e os gregos da Antiguidade?
  • Como se chamava o padrão composto de pedaços de pedra ou calhau coloridos?
  • Onde chegava a água que entrava pelo complúvio?
  • Em que divisão guardavam geralmente os romanos antigos as imagens dos antepassados e a correspondência familiar?
  • Por que meio aqueciam os romanos o chão e as paredes?
  • Que tinha o espaço situado debaixo das divisões aquecidas pelo hipocausto?
  • Que tipo de planta NÃO existia nas despensas da domus romana?
  • O que NÃO podiam guardar os romanos nas ânforas?
  • Como se chama o recipiente de barro típico dos romanos antigos, utilizado para armazenamento?
  • Que tipo de móvel NÃO era habitual nas casas da Roma Antiga?
  • Qual das afirmações seguintes NÃO caracteriza a horta (hortus)?
  • É verdade que a domus romana tinha várias entradas com funções diferentes?
  • Qual das divisões seguintes não fazia parte da domus?
  • É verdade que a arquitetura romana das casas de habitação caracterizava-se por ter plantas mais variadas do que a arquitetura grega?
  • Com que eram cobertas as casas da Roma Antiga?
  • Qual das divisões tinha o nome de atrium (átrio)?

Cenas

Casa romana (domus, villa)

Habitações romanas

Um dos mais importantes ramos da arquitetura da Roma antiga era a construção de domus e villae. As casas dos cidadãos ricos da Roma Antiga eram mais variadas e mais confortáveis do que as suas semelhantes na arquitetura da Grécia Antiga. Muito do que é conhecido sobre as Casas Romanas (domus) advém das escavações em Pompeia e Herculano.

As domus dos cidadãos urbanos e as villae de campo das famílias abastadas tinham, em geral, dois andares, várias divisões, e eram particularmente espaçosas. As paredes eram de tijolo e rebocadas. Os tetos, abertos sobre os pátios, eram cobertos em telha. As casas possuíam várias entradas e janelas nas paredes, cobertas com vidro artesoado. As divisões mais importantes estavam dispostas de forma simétrica. O eixo das casas romanas era constituído pelo portão de entrada (ou ostium), o pátio frontal (ou atrium) e o quintal (ou hortus). Regra geral, os quartos ficavam dispostos à volta dos pátios.

Vista de corte

A estrutura das casas romanas

Cozinha, sala de jantar, banquetes

Tal como na Grécia Antiga, a cozinha constituía uma importante divisão das casas na Roma Antiga. Era comum a cozinha abrir diretamente para a rua, e o seu mobiliário incluía fornos, fogões, ânforas e potes de barro para guardar materiais. Os restantes utensílios da cozinha eram pendurados nas paredes e colocados em prateleiras.

A sala de jantar (triclinium) era não apenas um lugar para comer, mas também um local para entreter os convidados e para importantes discussões. Em geral, os romanos faziam três refeições por dia, sendo o jantar a maior e a mais importante do dia. Os romanos mais abastados tinham um escravo para trabalhar como cozinheiro. A decoração dos pratos era tão importante quanto os ingredientes especiais. As refeições eram realizadas recostados num sofá, descansando sobre os cotovelos.

Sala de receção e o pátio traseiro (jardim)

As salas de receção eram normalmente organizadas à volta do pátio interior. Se existisse um, os aposentos dos escravos ficavam no segundo andar. Vários aspetos contribuíram para a disposição das divisões, existindo divisões para o dia e para a noite, e para o verão e inverno. Ao contrário dos gregos, os romanos não separavam as divisões para homens e mulheres.

A mobília e a decoração dos quartos era normalmente simples, apenas as pessoas abastadas tinham as suas divisões decoradas com estátuas e pinturas. Os chãos decorados com mosaicos eram também comuns. As divisões eram aquecidas por um sistema subterrâneo que usava ar quente, o hypocaustum. A luz entrava nas divisões através de janelas viradas quer para os pátios quer para as ruas.

Existia também um pátio traseiro que era geralmente um jardim (hortus), decorado com uma fonte e um lago artificial com plantas sempre verdes. Era cercado por colunas ornamentadas e com relevos. Para os cidadãos romanos cansados da vida social e política, o hortus era um local de relaxamento.

O átrio e o tablinum

O átrio era o pátio central, retangular e descoberto, localizado na parte frontal das casas romanas. Uma passagem estreita e relativamente longa levava desde o portão da entrada até ao átrio. A água das chuvas dos telhados era recolhida numa cisterna (impluvium).

Existiam várias salas para receber convidados, para os escravos e de armazenamento à volta do átrio. Os convidados eram frequentemente recebidos no átrio, que era o local de importantes discussões e decisões.

O átrio estava ligado ao pátio traseiro através do tablinum. Era uma das divisões mais importantes da casa, servindo de área de receção. Consistia de um átrio amplo, circundado com colunas, que era também usado para manter os arquivos da família e exibir pinturas dos antepassados. Em dois dos seus lados, ficavam localizadas divisões de receção e galerias adicionais.

Passeio

Animação

As casas de habitação dos cidadãos mais abastados da Roma Antiga ultrapassaram a arquitetura grega tanto na forma das plantas como no conforto. A domus dos cidadãos urbanos e as villae das famílias abastadas do campo tinham em geral dois andares, várias divisões, e eram particularmente espaçosas. Tinham paredes de tijolo rebocadas e teto em telha com duas aberturas. As janelas eram cobertas com vidro artesoado.

As casas tinham várias entradas com funções diferentes. O eixo do edifício era composto pela porta principal (ostium), primeiro pátio (atrium), e jardim do segundo pátio (hortus). Ao contrário das casas gregas, as divisões mais importantes tinham uma disposição simétrica, como por exemplo a cozinha e a sala de jantar, que abriam diretamente para a rua e ficavam situadas no rés-do-chão. Este último, além de dar lugar às refeições, servia também como sala de receção. As divisões de habitação ficavam em redor dos pátios. (Quando havia um piso superior, era aí que ficavam os quartos de dormir dos escravos.) Ao contrário dos gregos, os romanos não separavam as divisões dos homens e das mulheres.

Da porta principal, um vestíbulo estreito conduzia ao átrio, um pátio retangular descoberto. O teto deste primeiro pátio tinha uma abertura central por onde entrava a água da chuva, que era recolhida na cisterna chamada implúvio (impluvium). O átrio comunicava com o segundo pátio por meio do tablinum, a divisão que ficava no fundo do átrio e que servia como lugar de receção. A horta (hortus), o lugar de descanso da família, era rodeada de colunas decoradas, com um lago artificial e vegetação abundante.
As casas de habitação da Roma Antiga eram lares muito confortáveis e acolhedores, e exerceram uma grande influência sobre a arquitetura das épocas posteriores.

Narração

As casas de habitação dos cidadãos mais abastados da Roma Antiga ultrapassaram a arquitetura grega tanto na forma das plantas como no conforto. A domus dos cidadãos urbanos e as villae das famílias abastadas do campo tinham em geral dois andares, várias divisões, e eram particularmente espaçosas. Tinham paredes de tijolo rebocadas e teto em telha com duas aberturas. As janelas eram cobertas com vidro artesoado.

As casas tinham várias entradas com funções diferentes. O eixo do edifício era composto pela porta principal (ostium), primeiro pátio (atrium), e jardim do segundo pátio (hortus). Ao contrário das casas gregas, as divisões mais importantes tinham uma disposição simétrica, como por exemplo a cozinha e a sala de jantar, que abriam diretamente para a rua e ficavam situadas no rés-do-chão. Este último, além de dar lugar às refeições, servia também como sala de receção. As divisões de habitação ficavam em redor dos pátios. (Quando havia um piso superior, era aí que ficavam os quartos de dormir dos escravos.) Ao contrário dos gregos, os romanos não separavam as divisões dos homens e das mulheres.

Da porta principal, um vestíbulo estreito conduzia ao átrio, um pátio retangular descoberto. O teto deste primeiro pátio tinha uma abertura central por onde entrava a água da chuva, que era recolhida na cisterna chamada implúvio (impluvium). O átrio comunicava com o segundo pátio por meio do tablinum, a divisão que ficava no fundo do átrio e que servia como lugar de receção. A horta (hortus), o lugar de descanso da família, era rodeada de colunas decoradas, com um lago artificial e vegetação abundante.
As casas de habitação da Roma Antiga eram lares muito confortáveis e acolhedores, e exerceram uma grande influência sobre a arquitetura das épocas posteriores.

Extras relacionados

Batalha de Zama (202 a.C.)

Nesta batalha em África, o exército romano de Cipião derrotou o exército púnico de...

Os Jogos Olímpicos da Antiguidade

Aprenda mais sobre as origens dos Jogos Olímpicos na Antiguidade e a sua recriação nos tempos...

Antigo cidadão ateniense com sua esposa

A democracia ateniense era baseada numa comunidade de cidadãos com plenos direitos.

Pirâmides de Gizé (3º milénio a.C.)

A Necrópole de Gizé é a única das maravilhas antigas ainda intacta.

Massada

Símbolo do patriotismo judaico, Massada é uma fortificação construída num gigante planalto isolado.

Alésia (França, século I a.C.)

A cidade gaulesa de Alésia, defendida por Vercingetorix, foi cercada pelas forças romanas...

Palácio de Cnossos (2º milénio a.C.)

O maior complexo arquitetônico da Idade do Bronze era provavelmente o centro da...

Termas de Caracala (Roma, século III)

O magnífico complexo das termas do imperador romano foi construído no século III A. D.

Added to your cart.