Ara Pacis Augustae (Roma, século I a.C.)

Ara Pacis Augustae (Roma, século I a.C.)

O Altar da Paz, mandado erigir no reinado de Augusto, foi uma das mais importantes obras da Roma Antiga.

História

Palavras-chave

Altar da Paz, Augusto, Augustus, Ara Pacis Augustae, Pax, altar, tratado de paz, Roma, Római Birodalom, Campo de Marte, construção, estrutura, arquitetura, religião, relevo, mármore, friso, Hispânia, Gália, senado, procissão, mitologia, deuses, arte, Antiguidade, história

Extras relacionados

Cenas

O altar

Ara Pacis Augustae

O altar recebeu o seu nome da paz augustiana, conhecida como a paz romana, que foi estabelecida pelo primeiro imperador romano, Augusto. Foi encomendado pelo Senado em 13 a.C. e a construção acabou em 9 a.C. O monumento comemora o regresso de Augusto das suas campanhas militares na Hispânia e na Gália. O altar, dedicado à Pax, a deusa da paz, originalmente, ficava no Campo de Marte, perto da Via Flaminia.

O altar, feito de mármore de Carrara, fica num pódio rodeado por uma parede. Na parte interior e exterior da parede há relevos finamente esculpidos. Nos dois lados, onde não há entradas, os frisos da procissão religiosa representam sacerdotes, senadores e oficiais, assim como Augusto e outros membros da família imperial. Ao lado das entradas, podem-se ver cenas mitológicas.

Os quatro painéis principais representam figuras relacionadas à cidade de Roma. As partes inferiores do exterior da parede são decoradas com ornamentação vegetal esculpida, a simetria da qual simboliza a harmonia da natureza. No interior, as paredes são decoradas com bucrâneos esculpidos, simbolizando sacrifícios, e coroas trançadas com frutas.

Após a queda do Império Romano, o altar esculpido pelos artistas mais excelentes dos tempos de Augusto, foi sepultado pelo lodo do rio Tibre. Os fragmentos do altar foram encontrados apenas no século XVI durante a construção de um palácio.

Os relevos foram partidos em pedaços e as partes foram levadas para diferentes lugares do mundo. Durante o período moderno, cada vez mais pedaços foram encontrados. Finalmente, em 1938, dentro de um projeto grandioso, o monumento foi escavado, todas as suas partes foram coletadas das diferentes partes do mundo e o altar assim pôde ser reconstruído.

Hoje em dia, o Ara Pacis não fica localizado no seu lugar original mas no Museu do Ara Pacis, perto do Mausoléu de Augusto.

O interior

Vista de cima

Animação

Narração

Ara Pacis Augustae

O altar recebeu o seu nome da paz augustiana, conhecida como a paz romana, que foi estabelecida pelo primeiro imperador romano, Augusto. Foi encomendado pelo Senado em 13 a.C. e a construção acabou em 9 a.C. O monumento comemora o regresso de Augusto das suas campanhas militares na Hispânia e na Gália. O altar, dedicado à Pax, a deusa da paz, originalmente, ficava no Campo de Marte, perto da Via Flaminia.

O altar, feito de mármore de Carrara, fica num pódio rodeado por uma parede. Na parte interior e exterior da parede há relevos finamente esculpidos. Nos dois lados, onde não há entradas, os frisos da procissão religiosa representam sacerdotes, senadores e oficiais, assim como Augusto e outros membros da família imperial. Ao lado das entradas, podem-se ver cenas mitológicas.

Os quatro painéis principais representam figuras relacionadas à cidade de Roma. As partes inferiores do exterior da parede são decoradas com ornamentação vegetal esculpida, a simetria da qual simboliza a harmonia da natureza. No interior, as paredes são decoradas com bucrâneos esculpidos, simbolizando sacrifícios, e coroas trançadas com frutas.

Após a queda do Império Romano, o altar esculpido pelos artistas mais excelentes dos tempos de Augusto, foi sepultado pelo lodo do rio Tibre. Os fragmentos do altar foram encontrados apenas no século XVI durante a construção de um palácio.

Os relevos foram partidos em pedaços e as partes foram levadas para diferentes lugares do mundo. Durante o período moderno, cada vez mais pedaços foram encontrados. Finalmente, em 1938, dentro de um projeto grandioso, o monumento foi escavado, todas as suas partes foram coletadas das diferentes partes do mundo e o altar assim pôde ser reconstruído.

Hoje em dia, o Ara Pacis não fica localizado no seu lugar original mas no Museu do Ara Pacis, perto do Mausoléu de Augusto.

Extras relacionados

Senador da Roma Antiga com a sua mulher

Os Senadores, como membros da mais alta classe social na Roma Antiga, usavam togas com bordas púrpuras.

Arco de Tito (Roma, século I)

Este Arco do Triunfo foi erigido à entrada do Fórum Romano, para comemorar a vitória do Imperador Tito no Cerco de Jerusalém.

As províncias e cidades na Roma Antiga

Esta animação apresenta a história da Roma Antiga através dos séculos

Batalha de Ácio (31 a.C.)

Na batalha travada nas costas da Antiga Grécia, Octaviano obteve uma vitória decisiva sobre Marco António.

Circo Máximo (Roma)

A enorme arena da Roma Antiga tornou-se famosa pelas suas corridas de bigas.

Coliseu (Roma, século I)

O mais famoso e esplendoroso anfiteatro de Roma foi construído no século I d.C.

Panteão (Roma, século II)

O "Templo de todos os deuses" foi construído durante o reinado do imperador romano Adriano.

Teatro de Pompeia (Roma, século I a. C.)

Cneu Pompeu Magno foi responsável por um dos primeiros teatros permanentes feitos em pedra da Roma Antiga.

Termas de Caracala (Roma, século III)

O magnífico complexo das termas do imperador romano foi construído no século III A. D.

Maravilhas do Mundo Antigo

As Pirâmides de Gizé são a única maravilha do Mundo Antigo ainda hoje intacta.

Added to your cart.